Adeus, Dieguito

0
216

O mundo do futebol entrou em choque. Era 13h no Brasil quando chegou a notícia. Diego Armando Maradona faleceu. Um baque enorme, do tamanho do ex-jogador. Um dos maiores atletas da história havia partido e deixado um legado que ninguém poderá igualar.

Campeão do Mundo em 1986, Dieguito esbanjou habilidade por onde passou. Ídolo máximo na Argentina sem dúvida alguma. Ninguém jamais fará o que Maradona fez nos campos de futebol.

A morte do ídolo argentino comoveu a todos. O Boca Juniors enfrentaria o Internacional pela Libertadores, mas entrou com pedido de adiamento da partida e a CONMEBOL acatou. Homenagens ao redor do mundo foram feitas àquele que era tido como Deus em seu país.

Maradona utilizando “La Mano de Díos” diante da Inglaterra, em 1986. Foto: El Grafico via AP/Arquivo

Ele, inclusive, já havia comentado sobre isso em 1991, quando disse: “Muitas vezes me dizem: ‘Você é Deus’. E eu respondo: ‘Vocês estão equivocados’. Deus é Deus, e eu sou simplesmente um jogador de futebol“.

Com sua humildade incrível, encantava a todos ao seu redor. Ninguém ousa falar que não gosta de Maradona. Sua marra dentro das quatro linhas será lembrada para sempre. Não só pelos argentinos, mas por todo mundo ao redor do globo.

Segura em “La Mano de Díos” e descansa em paz, Maradona!